CONTAGIARTE – Centro de Formação Cultural

DANÇAS DA EUROPA

por Diana Azevedo
Danças Europa I: Quinta-feira, das 19h30 às 21h00
Danças Europa II: Quarta-feira, das 19h30 às 21h00
Mensalidade: 30 euros/nível

Nesta oficina de Danças da Europa, partimos numa viagem em busca das danças das diferentes culturas europeias. Num dos continentes mais antigos do mundo – a Europa – estas danças contam a história dos povos de cada país, sendo executadas em festas, cerimónias populares e ambientes de trabalho, desde tempos remotos, como forma de partilha e comunicação entre pessoas das mais diversas idades. A cultura tradicional evoluiu e actualmente estas danças são dançadas em bailes e festivais por toda a Europa, procurando-se desta forma um reencontro entre o passado popular e a tradição contemporânea.
Nesta oficina, a diversidade das danças impera, desde as danças energéticas às mais introspectivas, de pares, trios, quadrilhas e grupos, no sentido de ir ao encontro da fusão entre o tradicional e o actual.
Plano
OBJECTIVOS ESPECÍFICOS
* Sensibilizar diferentes faixas etárias para as diversas culturas da Europa e fomentar o intercâmbio de experiências e saberes tradicionais;
* Conhecer a origem, a história e as modificações actuais das danças interpretadas;
* Desenvolver a consciência corporal, criatividade, socialização e comunicação expressiva das pessoas envolvidas;
* Trabalhar as componentes fundamentais da Dança: Espaço, Tempo e Corpo;
* Desenvolver a consciência rítmica, introduzir o conceito de ritmos simples e composto na prática das danças tradicionais, explorar o espaço e desenvolver a capacidade coreográfica e mímica e os princípios de simetria (círculos fechado e aberto, fila, coluna, quadrilhas e em cruz);
* Explorar a memória dos passos e suas combinações.
METODOLOGIAS/PROGRAMA
Em ambas as oficinas de Nível 1 e Nível 2, algumas aulas serão direccionadas para um país específico. Ao longo do ano existirão CURSOS E OFICINAS TEMÁTICAS, com enfoque sobre as danças das várias regiões desse país e a sua cultura associada.
Cada oficina é constituída por três partes distintas, sendo elas:
* Aquecimento: técnicas de tonificação e fortalecimento de musculatura e estrutura óssea através de exercícios de aquecimento;
* Aprendizagem prática e teórica das danças tradicionais e ciganas da Europa:
• Exercícios técnicos que visem a memorização dos passos base e das diferentes combinações de cada dança
• Exercícios de consciência rítmica
• Exercícios e exposição de conceitos teóricos: origem, contexto histórico, social e cultural das danças interpretadas;
* Relaxamento: exercícios de consciência corporal e capacidade respiratória e exercícios de comunicação através de coreografias básicas em círculo. Danças Sagradas.

A título de exemplo, no Nível I, durante o presente ano lectivo, algumas das danças leccionadas serão:
Contradança (Portugal), Cercle Circassien (França), Chapelloise (França), Scottish (Rep Checa), Mazurka (França), Polka do Ramon (Bélgica), Andro (França), Hanter Dro (França), Bourree (França), Pingacho (Portugal), Troyka (Rússia), Misirlou (Grécia), Dölzinger Mühle (Alemanha), Mataranha (Portugal), Carnaval de Lanz (Espanha), Repasseado (Portugal), Serjoža (Estónia), Encadeia (Portugal), Hora Medura (Israel), Regadinho (Portugal), Rumelaj (Roménia – Cigana), A Saia da Carolina (Portugal), Alunelul (Roménia), Erva-cidreira (Portugal), Kolomeyka (Ucrânia), Ma Navu (Israel), Slang Polska (Suécia), Tsadik Katamar (Israel), Valsa 3 Tempos (França), Yossel Yossel (Israel).

A título de exemplo, no Nível II, durante o presente ano lectivo, algumas das danças leccionadas serão:
Chamarrita (Portugal), Arcanul (Roménia), Mardi Gras (França), Hora kheffer (Israel), Corridinho (Portugal), Pas d´Été de Médoeux (França), Muñeira (Espanha), Yasu Hachaim (Israel), Hora Ciuleandra (Roménia), Dedo Mili Dedo (Macedónia), Joc Batresnesc (Roménia), Cocek cigana (Macedónia), Chula (Portugal), Anglaise (Alemanha), Fandango Basco (Espanha), Trite Pati (Bulgaria), Avant deux de travers (França), Jo Jon (Arménia), Hornpipe (Irlanda), Hrvatski Svatovi (Croácia), La Jota (Espanha), Chula dos Guindéis (Portugal), Scottisch Impar (França), Saias do Manuel do Rio (Portugal), Valsa 11 Tempos (França), Valsa 5 Tempos (França), Valsa 8 Tempos (França).

Orientadora: Diana Azevedo
“ De raízes minhotas e açorianas, Diana Azevedo traz a chula e o vira no sangue. Em criança dançava a Chamarrita com a avó açoriana que tocava guitarra portuguesa, ia com a família aos arraiais de folclore minhoto e aos 6 anos iniciou a sua formação em Ballet e em Violino. Diana dedica-se à promoção da cultura tradicional e ao ensino e pesquisa etnográfica de danças de várias regiões do mundo, em especial das culturas da Europa, trabalha com diversos grupos de música e exerce funções de direcção na Associação Cultural Popolomondo. Diana adapta as danças portuguesas ao conceito de baile actual mantendo o passo base mas acrescentando uma nova coreografia com o seu cunho pessoal: “As danças tradicionais, são um mundo que nunca acaba, uma investigação para toda a vida”, destacando-se a realização do documentário “O Grito da Chula” sobre o folclore, as tradições orais e as plantas medicinais da Serra da Aboboreira. (…)

http://dianaleitaoazevedo.blogspot.pt/


foto tradicionais (desbloquear imagens)

foto tradicionais (desbloquear imagens)